Selo GP - Rodrigo Roreli Laço
Fundação:
Francisco Gabriel Bié Barbosa
Alcance, credibilidade e
imparcialidade,
desde 84
ANO 38 - Nº 1924
Pará de Minas 01/07/2022


exclusivo

GOL DE PLACA

exclusivo

GENTE PEQUENA

exclusivo

GOTA POÉTICA

exclusivo

GRANDE PATRIMÔNIO

exclusivo

GALERA PLANTONISTA

exclusivo

Entre outras queixas dos leitores GP leia: “ATÉ A NATUREZA ESTÁ FICANDO MUITO LOUCA”

exclusivo

O editor GP escreve mais uma crônica: COMO VOCÊ VÊ OS ATUAIS POLÍTICOS DESTA CIDADE?

exclusivo

“SOFRI A INTERDIÇÃO TOTAL DA MINHA CASA, POR RISCO DE DESABAMENTO”

exclusivo

QUEM FOI

MARIA VILAÇA FERREIRA DE REZENDE
Adoro o GP Jornal

TÁ NA GAZETA? TÁ NA HISTÓRIA!

“O GP Jornal traz as informações nas medidas certas!”
SÉRGIO SANTOS DE SOUZA, engenheiro mecânico.

Notícias Coronavírus

COMEÇA A VACINAÇÃO PARA CRIANÇAS DE 5 A 11 ANOS

Na manhã de quinta-feira, 20, teve início a vacinação infantil da covid-19 em Pará de Minas. As primeiras crianças vacinadas foram os gêmeos Gabriel Henrique e Felipe Daniel, 8. Eles são portadores de deficiência múltipla e displasia broncopulmonar, e receberam a primeira dose no Ambulatório Médico de Especialidades. Na oportunidade, a reportagem GP conversou com secretário de Saúde, Wagner Magesty. Veja.

“Estamos inaugurando um novo ciclo, agora na vacinação de crianças entre 5 e 11 anos. É muito emocionante ver no olhar de uma criança, em toda a sua pureza, a importância que isso traz no dia a dia de cada cidadão. Isso em um momento de pico na pandemia, mas que, por causa das vacinas, vemos os quadros são menos agravados. E hoje o Felipe e o Gabriel deram show inaugurando esse novo ciclo”, comemora o secretário.

158 MIL PESSOAS VACINADAS – “Se fizermos um balanço, foram quase 158 mil pessoas vacinadas aqui em Pará de Minas, isso representa 98% do público alvo acima de 12 anos e 85% com a segunda dose. Pará de Minas deu exemplo não só na sala de vacina, mas também com a população que aderiu. Pois os números nunca serão objetivados se a população não procurar os locais de vacinação. Por isso fazemos mais uma vez o apelo, para aquelas pessoas que estão com a vacinação atrasada que busquem o serviço, que não deixem de se vacinar. Ninguém mais do que eu que estou aqui dentro vendo o dia a dia do serviço, pode afirmar o quanto melhorou o nível de agravo desses pacientes. Essa quarta onda da covid veio sem data para ir embora, por isso temos que seguir todas as orientações que a OMS (Organização Mundial da Saúde), Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), Ministério da Saúde e a nossa Regional de Saúde nos determina”.


O secretário de saúde, Wagner Magesty: “Essa quarta onda da covid veio sem data para ir embora, por isso temos que seguir todas as orientações que a OMS, Anvisa, Ministério da Saúde e a nossa regional de saúde nos determina”

Mais da Gazeta