Acervo de Notícias

09/04/2020 - COMÉRCIO NÃO PODE ARCAR COM PREJUÍZOS

Facebook Twitter Google

COMÉRCIO NÃO PODE ARCAR COM PREJUÍZOS

Depois de reivindicar à Federaminas - Federação das Associações Comerciais de Minas Gerais, a Ascipam recorreu também à Unecs - União Nacional de Entidades do Comércio e Serviços, no sentido de restabelecer a atividade varejista em Pará de Minas. Fechado desde 21 de março, por força de decreto, o comércio não aguenta mais a situação desesperadora, tanto do ponto de vista financeiro como da manutenção dos empregos. E a Unecs acenou positivamente ao grito de socorro afirmando, em ofício encaminhado à Ascipam, que o varejo não pode arcar sozinho com os prejuízos. Segundo a entidade, serão necessárias medidas muito eficazes por parte do governo para evitar uma catástrofe no Brasil. Em defesa também do comércio nacional, a Unecs enviou manifesto ao governo federal afirmando que “todos precisam, igualmente, estar comprometidos com o equilíbrio da economia”. Não se pode fechar os olhos para a questão do varejo, impedido de faturar a quase um mês. A Unecs está confiante que o país conseguirá frear o coronavírus, mas pede ao governo que não se esqueça da economia, nem da sobrevida dos negócios brasileiros. E a responsabilidade disso, segundo o manifesto, não está apenas nas mãos dos empresários, mas também da sociedade e do presidente da República e sua equipe. 

Veja também


 1 2 3 4 5 6 Fim