Selo GP - Rodrigo Roreli Laço
Fundação:
Francisco Gabriel Bié Barbosa
Alcance, credibilidade e
imparcialidade,
desde 84
ANO 38 - Nº 1917
Pará de Minas 13/05/2022


exclusivo

GERANDO PERGUNTAS

exclusivo

GOL DE PLACA

exclusivo

GOSTOSURAS PRÁTICAS

exclusivo

SOCIEDADE GP

exclusivo

GENTE PEQUENA

exclusivo

GALERA PARTICIPANTE

exclusivo

GOTA POÉTICA

exclusivo

GRANDE PATRIMÔNIO

exclusivo

GALERA PLANTONISTA

exclusivo

GRITO POPULAR

exclusivo

GENTE PENSANTE

exclusivo

“FIQUEI LIGADA A UM MONTE DE APARELHOS, MAS NÃO TINHA MAIS O CÂNCER NO MEU CORPO”

exclusivo

O mais tradicional evento cultural da cidade debateu sobre a VIDA PÓS-PANDEMIA

exclusivo

HISTÓRIA DE VIDA

LEVINO DA COSTA DE JESUS, 115
Adoro o GP Jornal

TÁ NA GAZETA? TÁ NA HISTÓRIA!

“Por ser sério, o GP Jornal é muito respeitado na cidade!”
JOSÉ IRINEU SILVA, empresário.

Notícias

NOVA FORÇA TAREFA CONTRA O MOSQUITO

 O último Lira deu um alto índice de 5,5% em Pará de Minas, sendo que era esperado menos de 0,9% e a força tarefa contra o Aedes Aegypti voltou depressa, sendo a primeira do ano, realizada no dia 2 de fevereiro, nos bairros Walter Martins e Vila Sinhô. A reportagem GP conversou com o gerente de endemias, Adilson Batista, que deu mais informações. Confira.
“Fizemos uma força tarefa em dois bairros, Walter Martins e Vila Sinhô, que são prioritários para a gente e nosso objetivo é eliminar os riscos de proliferação domosquito Aedes Aegypti. Com essa chuva que, graças a Deus, está caindo, temos uma situação de risco, mas estamos trabalhando muito para que a cidade continue sem epidemia de dengue. Fizemos uma visita aos bairros, distribuímos sacos plásticos para que os moradores dessem uma limpeza aos quintais e entramos em ação para eliminar todos os criadouros que estavam nesses imóveis. Escolhemos esses dois bairros por serem os mais infestados e para não espalhar o Aedes Aegypti pelo resto da cidade. Graças a Deus, ainda não temos transmissão de vírus, pois se tivesse vírus circulando, com certeza já estaríamos numa pré-epidemia,” ressalta Adilson.

Mais da Gazeta