Selo GP - Rodrigo Roreli Laço
Fundação:
Francisco Gabriel Bié Barbosa
Alcance, credibilidade e
imparcialidade,
desde 84
ANO 38 - Nº 1931
Pará de Minas 18/08/2022


exclusivo

GOL DE PLACA

exclusivo

GOSTOSURAS PRÁTICAS

exclusivo

SOCIEDADE GP

exclusivo

GENTE PEQUENA

exclusivo

GALERA PARTICIPANTE

exclusivo

GOTA POÉTICA

exclusivo

GRANDE PATRIMÔNIO

exclusivo

GALERA PLANTONISTA

exclusivo

GRITO POPULAR

exclusivo

GENTE PENSANTE

exclusivo

AFINAL, ONDE ESTÁ A VERDADE SOBRE O “FECHAMENTO” DA COOPARÁ?

exclusivo

HISTÓRIA DE VIDA

WANDERCY CORREA STEIN, 85
Adoro o GP Jornal

TÁ NA GAZETA? TÁ NA HISTÓRIA!

“A GAZETA sempre mantém a população pará-minense atualizada, com informações precisas!”
CARLOS ALBERTO DE MOURA MORATO, empresário.

Notícias

GRITO POPULAR

COMPRE A GAZETA NAS BANCAS: * PADARIAS: BARIRI, CAFÉ COM LEITE (São Luiz) e FRANÇA (rua Direita); * BANCAS: MARIA JOSÉ (em frente à EE Governador Valadares) e FRANCISCO (ao lado do Santander); * STOP SHOP, etc..

Veja também outras queixas da edição anterior abaixo.

QUE REUNIÃO SÉRIA É ESSA? COM SALGADOS E PRESENTES?

“O posto de saúde do Dom Bosco, quando eu fui lá, na semana do Natal, estava cheio de gente esperando atendimento, mas nenhum funcionário estava atendendo. De repente, apareceu uma lá, para apanhar umas caixas e sacolas que tinham chegado e a gente perguntou o que estava acontecendo. Ela falou que estava acontecendo uma reunião muito séria lá. No mínimo, ela achou que a gente é bobo, porque onde já se viu reunião séria, com tantos salgados e presentes chegando, daquele jeito? Nada contra as comemorações de fim de ano, mas acho que tudo tem um limite e, dentro de um posto de saúde, essas confraternizações deveriam acontecer apenas depois do horário de trabalho. Na mesma hora, saí de lá e fui pra a Upa 24H com a minha filha, de seis anos, queimando de febre: trinta e oito graus. Ela tem histórico de convulsão, que é coisa grave! A médica que a atendeu me perguntou por que eu não a levei no posto. Aí, eu expliquei pra ela o ocorrido... Aí, resolvi vir na GAZETA gritar, mesmo sabendo que eles não gostam que a gente faça isso. Mas assim não dá, porque o posto do bairro Dom Bosco deixou muito a desejar, desta vez. Se bem que não é a 1ª vez que tenho problema lá, no meu próprio bairro.”

NOTA DA REDAÇÃO - Contatada, veja o que disse a Assessoria de Comunicação da Prefeitura.

“A prefeitura, por meio da secretaria de saúde, informa que a Atenção Primária, segundo legislação vigente, realiza, na periodicidade de uma vez ao mês, as reuniões de matriciamento dos casos graves, com a participação de todos os profissionais da UBS (equipe multidisciplinar). O objetivo é construir uma proposta terapêutica-pedagógica para o paciente e o encaminhamento na rede da atenção em saúde municipal. Dessa forma, a unidade não funciona no horário da reunião, com exceção da coleta de exames. Um cartaz é afixado na porta da UBS e os pacientes são orientados a buscar a Upa 24H, em caso de emergência ou retornar à UBS após o matriciamento. Porém, durante essas reuniões, ocorre um intervalo de quinze minutos para o café, sendo esse fornecido pelos próprios funcionários. Mas, após o término da reunião, os colaboradores retornam ao atendimento normal,” garante a assessoria.


Entre outras queixas dos leitores GP leia: “ATÉ QUANDO TEREMOS QUE ENGOLIR ESSA BURACAIADA?”


Mais da Gazeta