Selo GP - Rodrigo Roreli Laço
Fundação:
Francisco Gabriel Bié Barbosa
Alcance, credibilidade e
imparcialidade,
desde 84
ANO 38 - Nº 1923
Pará de Minas 24/06/2022


exclusivo

UNIVERSO FAPAM

exclusivo

GERANDO PERGUNTAS

exclusivo

GIRANDO POR AÍ

exclusivo

GOL DE PLACA

exclusivo

GOSTOSURAS PRÁTICAS

exclusivo

SOCIEDADE GP

exclusivo

GENTE PEQUENA

exclusivo

GALERA PARTICIPANTE

exclusivo

GOTA POÉTICA

exclusivo

GRANDE PATRIMÔNIO

exclusivo

GALERA PLANTONISTA

exclusivo

GRITO POPULAR

exclusivo

GENTE PENSANTE

exclusivo

ATÉ AQUI,FATALIDADE ASSIM SÓ ERA VISTA NO FILME PREMONIÇÃO

exclusivo

HISTÓRIA DE VIDA

VERA LÚCIA SENA VALADARES
Adoro o GP Jornal

TÁ NA GAZETA? TÁ NA HISTÓRIA!

“O GP Jornal é informação e entretenimento, com qualidade e confiabilidade!”
VINÍCIUS PEREIRA DOURADO, médico cardiologista

Notícias Variadas

COMO EVITAR ACIDENTES DOMÉSTICOS DE IDOSOS?

Em 2016, o Brasil tinha 28 milhões de idosos, que representavam 13,5% do total da população. Segundo projeções do IBGE - Índice Brasileiro de Geografia e Estatística, em 2042, a população brasileira atingirá 232,5 milhões de habitantes, sendo 57 milhões de idosos (24,5%). Em 2031, o número de idosos (43,2 milhões) vai superar pela primeira vez o número de crianças e adolescentes, de 0 a 14 anos (42,3 milhões). Antes de 2050, os idosos já serão um grupo maior do que a parcela da população com idade entre quarenta e cinquenta e nove anos. Deste grupo, estima-se que há uma queda para um em cada três indivíduos com mais de sessenta e cinco anos e que um em vinte daqueles que sofreram uma queda sofram uma fratura ou necessitem de internação. Dentre os mais idosos, com 80 anos ou mais, 40% cai a cada ano. Dos que moram em asilos e casas de repouso, a frequência de quedas é de 50%. Os dados são do Into - Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia. A queda se torna mais perigosa com o avanço da idade, pois causa maiores complicações do que se comparada a acidentes com pessoas mais jovens. Há também o fator psicológico envolvido, pois o idoso pode desenvolver medo ou pânico de cair novamente e acabar se isolando ou limitando seus movimentos.


CAUSAS DE QUEDAS - As causas de quedas podem ser tanto relacionadas a fatores de envelhecimento, como diminuição da visão, fraqueza muscular e alteração no equilíbrio; até mesmo uso de medicamentos, doenças que afetam o sistema motor, sequelas físicas relacionadas a AVC - Acidente Vascular Cerebral, dentre outros. Das consequências das quedas na terceira idade, a fratura no fêmur é uma das mais graves. O rompimento deste, que é o maior osso do corpo humano, tem grandes chances de impactar na qualidade de vida dos idosos.


COMO PREVENIR QUEDAS? - Os números são preocupantes, mas é possível evitar quadros de queda por meio da prevenção. O ideal é que a casa do idoso seja equipada, mas algumas adaptações e remoções de potenciais obstáculos, como tapetes, já ajudam a facilitar o dia a dia e dão mais segurança. O H N S C listou algumas medidas de prevenção a quedas importantes: * Evitar tapetes soltos; * Orientar o idoso a usar sapatos fechados e com solado de borracha; * Escadas e corredores devem ter corrimões dos dois lados; * Evitar andar em áreas com piso úmido e evitar encerar a casa; * No banheiro, usar tapete antiderrapante e barras de apoio próximas a sanitário e chuveiro. Cadeiras no banho ajudam a dar mais estabilidade; * Elimine tudo aquilo que possa ser obstáculo ou provocar escorregões dentro de casa, como fios, tapetes e outros objetos; * Coloque uma luminária, telefone e uma lanterna perto da cama; * Limpar imediatamente o chão em caso de líquido derramado; * Os armários devem ter portas leves e maçanetas grandes para facilitar a abertura, e as roupas mais usadas devem ficar em lugares de fácil acesso. * É importante também que o idoso tome os medicamentos sempre no horário correto e informe o médico no caso de algum efeito colateral; * Segundo o Ministério da Saúde, treinamentos específicos para equilíbrio, como aulas de tai chi chuan, podem reduzir em até 37% as quedas na terceira idade. * E lembre-se: é muito importante, antes de fazer qualquer alteração na casa, conversar com o idoso e considerar sua opinião e autonomia no processo.



Mais da Gazeta