Selo GP - Rodrigo Roreli Laço
Fundação:
Francisco Gabriel Bié Barbosa
Alcance, credibilidade e
imparcialidade,
desde 84
ANO 38 - Nº 1918
Pará de Minas 20/05/2022


exclusivo

GANHO PESSOAL

exclusivo

GIRANDO POR AÍ

exclusivo

GOL DE PLACA

exclusivo

GOSTOSURAS PRÁTICAS

exclusivo

SOCIEDADE GP

exclusivo

GENTE PEQUENA

exclusivo

GALERA PARTICIPANTE

exclusivo

GOTA POÉTICA

exclusivo

GRANDE PATRIMÔNIO

exclusivo

GALERA PLANTONISTA

exclusivo

GRITO POPULAR

exclusivo

GENTE PENSANTE

exclusivo

CANTORA LOCAL VAI DIRETO PARA A FINAL DO CANTA COMIGO

exclusivo

GERANDO PERGUNTAS

exclusivo

GOL DE PLACA

exclusivo

QUEM FOI

NELSON ALVES MARZAGÃO?
Adoro o GP Jornal

TÁ NA GAZETA? TÁ NA HISTÓRIA!

“Todo esforço merece reconhecimento e o GP Jornal sabe valorizar cada um de nós, como ninguém!”
VITOR DOS SANTOS SILVA, estudante de educação física.

Giro Policial

BRIGA POR FUTEBOL, FACADAS E MORTE

Geraldo Fernandes da Silva, 59, morreu, após se envolver em uma briga generalizada, por causa de futebol, na rua Gustavo Capanema, Centro de Onça de Pitangui/MG. A PM compareceu ao local dos fatos, onde populares contaram que as partes envolvidas já haviam sido socorridas à Santa Casa de Pitangui/MG, para onde os militares se dirigiram. Uma das envolvidas, uma mulher, 24, contou aos policiais que estava em sua casa, quando chegaram o seu pai, e seu único irmão, 26. Em seguida, apareceu na porta da casa um homem, 37, bastante exaltado, com uma faca na mão, ameaçando matar o pai dela, chutando o portão, até arrombá-lo, quando conseguiu entrar no quintal da casa, avançando em direção ao pai dela. Nesse instante, ela e seu irmão entraram em luta corporal com o agressor, em defesa de seu pai, momento em que ela sofreu cortes da faca nos dedos de uma das mãos. Ela disse que todos, inclusive o pai, caíram no chão e o agressor teria caído sobre a faca que portava, também ferindo-se. O pai foi socorrido à Santa Casa. Segundo relatos do filho, no início da desavença, ele estava, com o pai em um bar, quando o assassino entrou em atrito com eles, por causa do jogo de futebol, entre Atlético mineiro e Fluminense. Nessa hora, o autor saiu do bar, dizendo que buscaria uma arma, em tom de ameaça, para resolver aquilo. Procurada, a médica plantonista disse que ele deu entrada naquele hospital, apresentando um corte superficial no tórax, com ausência dos sinais vitais. Dessa forma, foram feitas manobras de ressuscitação, mas, infelizmente, Geraldo Pantera, como ele era mais conhecido em Pará de Minas, estava morto. Segundo filhos da vítima, ele tinha histórico de problemas cardíacos, tendo sido operado, o que pode ser comprovado pela grande cicatriz de operação, no tórax, e que isso pode ter contribuído para o seu falecimento. As informações sobre a cirurgia cardíaca da vítima foram confirmadas por testemunhas. A médica disse ainda que o autor apresentava três cortes na região dorsal, mas que ele havia sido transferido para o HNSC - Hospital Nossa Senhora da Conceição, para avaliação quanto a cirurgia. O autor recebeu voz de prisão, permanecendo em escolta no HNSC, onde continuou internado.


Mais da Gazeta