Selo GP - Rodrigo Roreli Laço
Fundação:
Francisco Gabriel Bié Barbosa
Alcance, credibilidade e
imparcialidade,
desde 84
ANO 38 - Nº 1917
Pará de Minas 13/05/2022


exclusivo

GERANDO PERGUNTAS

exclusivo

GOL DE PLACA

exclusivo

GOSTOSURAS PRÁTICAS

exclusivo

SOCIEDADE GP

exclusivo

GENTE PEQUENA

exclusivo

GALERA PARTICIPANTE

exclusivo

GOTA POÉTICA

exclusivo

GRANDE PATRIMÔNIO

exclusivo

GALERA PLANTONISTA

exclusivo

GRITO POPULAR

exclusivo

GENTE PENSANTE

exclusivo

“FIQUEI LIGADA A UM MONTE DE APARELHOS, MAS NÃO TINHA MAIS O CÂNCER NO MEU CORPO”

exclusivo

O mais tradicional evento cultural da cidade debateu sobre a VIDA PÓS-PANDEMIA

exclusivo

HISTÓRIA DE VIDA

LEVINO DA COSTA DE JESUS, 115
Adoro o GP Jornal

TÁ NA GAZETA? TÁ NA HISTÓRIA!

“Por ser sério, o GP Jornal é muito respeitado na cidade!”
JOSÉ IRINEU SILVA, empresário.

Notícias

GRITO POPULAR

COMPRE A GAZETA NAS BANCAS: * PADARIAS: BARIRI, CAFÉ COM LEITE e FRANÇA; * BANCAS: MARIA JOSÉ (EE Governador Valadares) e FRANCISCO (ao lado do Santander); * STOP SHOP, etc..

Veja também outras queixas da edição anterior abaixo.

FIZERAM SEPULTAMENTO NO NOVO CEMITÉRIO?

“Pessoal do GP Jornal, ouvi falar que já foi sepultada uma pessoa no novo cemitério, antes mesmo da obra se encerrar e ele ser inaugurado. Segundo estão todos comentando pela cidade toda, a prefeitura autorizar enterrar lá, antes da hora, porque o antigo cemitério não comporta a abertura de novas covas. Ou seja, se a família enlutada já possui jazigo no cemitério de baixo, o enterro é feito lá. Agora, se for família sem jazigo, os sepultamentos são autorizados a ser feitos no cemitério de cima, onde já quarenta túmulos prontos. Eu, particularmente, acho um absurdo, principalmente, porque as obras, que estão sendo feitas por uma empresa de Lagoa Santa/MG, estão totalmente paradas. Afinal, tem ou não tem fundamento essa informação?”

NOTA DA REDAÇÃO - A reportagem GP entrou em contato com a Assessoria de Comunicação da Prefeitura, que disse não haver o menor fundamento nessa informação. Para checar, a reportagem GP também foi ao local, onde está sendo erguido o novo cemitério e informa que, realmente, não foi realizado nenhum sepultamento ali, onde as obras, por sinal, estão, totalmente, paradas. 

“AS AVES DO BARIRI ESTÃO PASSANDO FOME?” (2)

“Na edição GP 1890, foi veiculada aqui uma queixa sobre as aves do Parque do Bariri e agora venho corroborar a queixa apresentada por moradora do São José, onde também resido. O problema não é tanto o fato de estar faltando alimentação para os patos, gansos e demais aves e animais que ali vivem. O que estamos sentindo muito forte é o descaso, o abandono a que esses animais estão sendo submetidos. Tempos atrás, havia ali um funcionário da prefeitura, conhecido por todos os moradores como Santinho. Ele sim, como funcionário, não só cuidava e olhava toda a parte dos jardins, mas especialmente cuidava dos pássaros, pois sendo esses seres vivos, demandam não só alimentos, mas, especialmente, de outros cuidados que hoje, com a saída dele, estão totalmente à mercê da própria sorte. A saída desse funcionário ocorreu devido a prefeitura ter terceirizado todo o serviço externo, incluindo o Parque do Bariri. Mas, a meu ver, foi uma decisão equivocada, já que um parque como esse, que é um cartão de visitas da cidade, deveria, salvo melhor juízo, ter um tratamento diferenciado, já que os pássaros, por serem seres vivos, precisam, além de alimentos, de outra atenção, pois costumam ter crias, que ficam expostas à ação de predadores. Vale lembrar que o Santinho tinha o maior cuidado, na proteção desses pequeninos seres. Apelo pela visão mais segmentária do assunto, para que cada tarefa seja vista como um caso à parte, já que envolve vidas que não podem se haver sozinhas... Esses gansos, marrecos, patos e garças fazem a beleza do lugar e precisam ser preservados e cuidados. Apelo ao querido prefeito, para que cuide desse patrimônio da cidade, pois ele é um recanto de rara beleza e merece um especial olhar de carinho e cuidados!”

NOTA DA REDAÇÃO - Contatada, veja o que disse a Assessoria de Comunicação da Prefeitura.

“A prefeitura, por meio da secretaria de agronegócio, desenvolvimento rural e meio ambiente informa que há um funcionário responsável pela jardinagem e tratamento dos animais, trabalhando em tempo integral no Parque do Bariri. A secretaria aguarda a chegada de novos funcionários, que foram solicitados, por meio da empresa Engesp e que, também, trabalharão nesse parque,” informa a assessoria.



Entre outras queixas dos leitores GP leia: Casa colonial centenária vira estacionamento


Mais da Gazeta