Selo GP - Rodrigo Roreli Laço
Fundação:
Francisco Gabriel Bié Barbosa
Alcance, credibilidade e
imparcialidade,
desde 84
ANO 38 - Nº 1931
Pará de Minas 18/08/2022


exclusivo

GOL DE PLACA

exclusivo

GOSTOSURAS PRÁTICAS

exclusivo

SOCIEDADE GP

exclusivo

GENTE PEQUENA

exclusivo

GALERA PARTICIPANTE

exclusivo

GOTA POÉTICA

exclusivo

GRANDE PATRIMÔNIO

exclusivo

GALERA PLANTONISTA

exclusivo

GRITO POPULAR

exclusivo

GENTE PENSANTE

exclusivo

AFINAL, ONDE ESTÁ A VERDADE SOBRE O “FECHAMENTO” DA COOPARÁ?

exclusivo

HISTÓRIA DE VIDA

WANDERCY CORREA STEIN, 85
Adoro o GP Jornal

TÁ NA GAZETA? TÁ NA HISTÓRIA!

“A GAZETA sempre mantém a população pará-minense atualizada, com informações precisas!”
CARLOS ALBERTO DE MOURA MORATO, empresário.

Gozacao Pura

GOZAÇÃO PURA: FEITIÇO DE DONO DE BAR CONTRA CLIENTES VIRA-SE CONTRA ELE

Gente, lembra quando eu falei aqui sobre um bar de fora que havia chegado na terrinha e criou uma polêmica horrorosa sobre o nível social baixo da clientela e, em seguida, fechou suas portas? Pois é, mas ele não se escafedeu-se daqui, uma vez que, depois que a pandemia deu essa trégua, as portas desse mesmo bar foram novamente abertas! Um amigo meu esteve lá, na véspera de feriado, quando rolou show eletrônico, sertanejo e funk. Ele me disse que a fila para entrar estava dando volta, ao redor do bar. Me disse que todos os clientes que usaram o estacionamento, como ele, depois da meia noite, tiveram de pagar para o dono do bar dez reis cada, na hora de retirá-los. Ele, que já estava P da vida, porque pensou que pagaria vinte reais para entrar no bar, mas teve de pagar cinquenta, ainda teve esse do estacionamento. Ele me falou também que o bar estava entupido de gente e até parecia que não existia mais pandemia. Todo mundo colado um no outro e Enfim, o empurra, empurra era tão grande que ele, que foi ali para assistir aos shows, ficou a ver navios... Mas o dono do bar, dessa vez, não deve ter reclamado dos clientes de sempre, vestidos de todos os estilos: burguesinhos e malacos de bermuda, blusa de time de futebol e até chinelos. Afinal, la plata estava entrando. Pra completar, mais tarde algumas bebidas acabaram-se e quem já tinha comprado ficha tinha de mandar goela abaixo, sem abrir o bico, o que ainda tinha no bar. Mas o pior vem agora: rolaram brigas, dentro e fora do bar, com garrafas voando pra tudo quanto é lado, mulher puxando cabelo de mulher, por causa de bofe, etc.. A maior algazarra! Por volta de uma hora, desligaram o som e pediram o pessoal cair fora. O cantor que fez o show falou para o meu colega que nunca mais põe os pés ali, porque nunca viu tão desorganização... Já os clientes, ao saírem do bar, ficaram do lado de fora com os sons dos carros ligados na maior altura, com muita cachaçada e mais bagunça ainda.

A PERGUNTA QUE NÃO QUER CALAR - Você ficou a par disso também ou só ficou sabendo agora, via GAZETA?

ATÉ BREVE! E DE LEVE...

Você não sabe quem sou eu, mas euzinha sei tudo sobre você!

(*) Colaborador que só escreve fake news (notícias falsas).


Mais da Gazeta