Selo GP - Rodrigo Roreli Laço
Fundação:
Francisco Gabriel Bié Barbosa
Alcance, credibilidade e
imparcialidade,
desde 84
ANO 38 - Nº 1930
Pará de Minas 12/08/2022


exclusivo

GIRANDO POR AÍ

exclusivo

GOL DE PLACA

exclusivo

GOSTOSURAS PRÁTICAS

exclusivo

SOCIEDADE GP

exclusivo

GENTE PEQUENA

exclusivo

GALERA PARTICIPANTE

exclusivo

GOTA POÉTICA

exclusivo

GRANDE PATRIMÔNIO

exclusivo

GALERA PLANTONISTA

exclusivo

GRITO POPULAR

exclusivo

GENTE PENSANTE

exclusivo

MAIS UMA VEZ, SEÇÃO GRITO POPULAR MOSTRA SUA FORÇA

exclusivo

UNIVERSO FAPAM

exclusivo

GERANDO PERGUNTAS

exclusivo

GOL DE PLACA

exclusivo

HISTÓRIA DE VIDA

OLINDA MARIA STAIN, 81
Adoro o GP Jornal

TÁ NA GAZETA? TÁ NA HISTÓRIA!

“Credibilidade e imparcialidade em jornalismo é com a GAZETA!”
GABRIEL JOSÉ BARBOSA PALOTTI, administrador e Garra Profissional 2021 no agronegócio

Notícias

GRITO POPULAR


VEJA NA EDIÇÃO 1862: NAS BANCAS DE 16/04 A 22/04. DEPOIS, SÓ NA GAZETA. Veja também outras queixas da edição anterior abaixo.

“HÁ PROFESSORES INFARTANDO, SURTANDO E ADOECENDO...”

“Estou enviando para vocês, do GP Jornal, uma reflexão: os professores estão adoecendo. Aula por whatsApp, gravada, ao vivo, na plataforma virtual, canal no youtube. Prepara o roteiro, planeja a aula, prepara as atividades diferenciadas/adaptadas, olha o código da habilidade, para confirmar se está certo mesmo. Elabora a atividade, nem longa e nem resumida demais. Contextualiza o enunciado. Não pode ser difícil, se não eles não conseguem fazer. Não pode ser fácil, se não eles não serão desafiados. Procura um vídeo adequado para encaixar na aula, nem longo e nem curto demais. E jogos educativos relacionados ao tema. Ah, uma música cantada também. Salva figurinhas fofinhas para mandar no grupo dos pais. Coloca uma lupa para tentar decifrar a foto. Manda áudio explicando a atividade, para não ficarem dúvidas. Registra a aula. Faz o relatório. Faz a ficha de frequência. Baixa o app para a montagem das fotos ficar bonitinha. Manda mensagem para quem faltou. Olha a plataforma: tem atividade para conferir. Posta um livro, porque precisa estimular a leitura, mas cuidado: nem simples e nem complicado demais. Formata o notebook. Aumenta a velocidade da internet. Baixa o app do scanner. Compartilha tela. Tem reunião pedagógica. Assiste a live, faz o curso de formação online, pois tem que se capacitar. Depois, dizem que não sabem porque há professores infartando, surtando e adoecendo... Reflexão perfeita sobre o momento que estamos vivendo, não acha? E há pessoas que ainda têm a coragem de dizer que os professores não estão trabalhando...”

CHUVA DE GRITOS SOBRE O SENADOR VALADARES (6)

Leia hoje mais uma opinião de leitor(a) GP sobre a série de entrevistas que estão sendo feitas por este GP Jornal, oriunda da polêmica questão do bairro Senador Valadares que não estar indo pra frente. Confira:

“Sabe o que eu acho muito estranho, não só nessa questão problemática do bairro Senador Valadares, mas de vários outros. É o seguinte: o dono do loteamento vai na prefeitura e consegue a aprovação para vender. Aí, você compra o seu e, na hora de construir, o meio ambiente vem e diz que você não pode erguer nada no lugar, porque tem nascente de água ali. Acho isso a maior sacanagem, porque a prefeitura nunca deveria aprovar lotes, onde não poderá ser construído nada. Tem de olhar isso é antes e não depois que o caldo já entornou e sair embargando tudo, prejudicando tantas famílias...”

NOTA DA REDAÇÃO - Contatada, veja o que disse a Assessoria de Comunicação da Prefeitura.

“A secretaria de desenvolvimento urbano explica que o bairro Senador Valadares foi criado ANTES da instituição de legislação específica sobre parcelamento urbano e meio ambiente. Atualmente, somente loteamentos em consonância com a legislação, com a devida infraestrutura, são aprovados pela prefeitura. É importante destacar ainda que o município segue a legislação VIGENTE para emissão de alvarás e licenciamentos,” informa a assessoria. (Continua na próxima edição).


Entre outras queixas dos leitores GP leia: “Por que o nosso deputado votou contra a compra de vacinas pelos empresários?”


Mais da Gazeta