Selo GP - Rodrigo Roreli Laço
Fundação:
Francisco Gabriel Bié Barbosa
Alcance, credibilidade e
imparcialidade,
desde 84
ANO 38 - Nº 1918
Pará de Minas 20/05/2022


exclusivo

GANHO PESSOAL

exclusivo

GIRANDO POR AÍ

exclusivo

GOL DE PLACA

exclusivo

GOSTOSURAS PRÁTICAS

exclusivo

SOCIEDADE GP

exclusivo

GENTE PEQUENA

exclusivo

GALERA PARTICIPANTE

exclusivo

GOTA POÉTICA

exclusivo

GRANDE PATRIMÔNIO

exclusivo

GALERA PLANTONISTA

exclusivo

GRITO POPULAR

exclusivo

GENTE PENSANTE

exclusivo

CANTORA LOCAL VAI DIRETO PARA A FINAL DO CANTA COMIGO

exclusivo

GERANDO PERGUNTAS

exclusivo

GOL DE PLACA

exclusivo

QUEM FOI

NELSON ALVES MARZAGÃO?
Adoro o GP Jornal

TÁ NA GAZETA? TÁ NA HISTÓRIA!

“Todo esforço merece reconhecimento e o GP Jornal sabe valorizar cada um de nós, como ninguém!”
VITOR DOS SANTOS SILVA, estudante de educação física.

Notícias

GRITO POPULAR


VEJA NA EDIÇÃO 1858: NAS BANCAS DE 19/03 A 25/03. DEPOIS, SÓ NA GAZETA. Veja também outras queixas da edição anterior abaixo.

BUGANVILHAS NA FIAÇÃO. PERIGO? (2)

“Não gostei da resposta da Cemig (edição GP 1852), porque dá a entender que eles são os bam, bam, bans em podas de árvores, mas, na minha modesta opinião, estão longe de serem. Aqui em Pará de Minas, as árvores têm sido podadas por eles, de forma tão incorreta, que até um(a) leigo(a) no assunto, como eu, vê. Eles têm feito podas drásticas, horríveis, que sempre destroem a beleza das copas das árvores. Se vocês do GP Jornal vissem o que eles fizeram com uma das árvores bem na frente da minha casa ficariam, no mínimo, chocados... Sugiro, então, à Cemig que os responsáveis por essas podas façam, urgentemente, um curso, para aprender a podar, da maneira correta!”

NOTA DA REDAÇÃO - Contatada, a Assessoria de Comunicação da Cemig não enviou resposta até o fechamento desta edição. Entretanto, caso ainda queira, é só manter contato.

CHUVA DE GRITOS SOBRE O SENADOR VALADARES (2)

Leia hoje mais duas opiniões de leitores GP sobre a série de entrevistas que estão sendo feitas por este GP Jornal sobre a polêmica questão do bairro Senador Valadares não estar indo pra frente. Confira:

1ª) “Parabéns para a GAZETA que está alertando a todos, para a não urbanização do Senador Valadares, até hoje, já que há, realmente, um problema gravíssimo ali. Por ser uma área ainda não urbanizada, na parte central da cidade, ela está impedindo uma fácil comunicação entre os pontos de maior locação da população da cidade. Ou seja, tem causado sérios problemas de: * mobilidade urbana; * acesso à área hospitalar; * dificuldade de policiamento, já que trata-se de um ponto cego; e * aumento de queimadas, na época da seca.”

2ª) “O Ministério Público já deveria ter tomado uma providência sobre esse assunto do bairro Senador Valadares, visto que muitas pessoas colocaram ali o sonho de ter a casa própria. Isso, sem falar naqueles que investiram dinheiro, fruto de suas economias, e estão, agora, sendo, claramente, prejudicadas. E tem mais: não só os lotes do bairro Senador Valadares que estão deixando de ser vendidos, mas todos os outros, que ficam ao seu redor, gerando prejuízo pra muita gente! Por que a reportagem GP não faz uma matéria com o promotor?”

NOTA DA REDAÇÃO - A reportagem GP agradece a sugestão. Confira a matéria com o promotor Delano Azevedo, na página 7.


Entre outras queixas dos leitores GP leia: Chuva de gritos sobre o Senador Valadares (3)


Mais da Gazeta