Selo GP - Rodrigo Roreli Laço
Fundação:
Francisco Gabriel Bié Barbosa
Alcance, credibilidade e
imparcialidade,
desde 84
ANO 38 - Nº 1930
Pará de Minas 12/08/2022


exclusivo

GIRANDO POR AÍ

exclusivo

GOL DE PLACA

exclusivo

GOSTOSURAS PRÁTICAS

exclusivo

SOCIEDADE GP

exclusivo

GENTE PEQUENA

exclusivo

GALERA PARTICIPANTE

exclusivo

GOTA POÉTICA

exclusivo

GRANDE PATRIMÔNIO

exclusivo

GALERA PLANTONISTA

exclusivo

GRITO POPULAR

exclusivo

GENTE PENSANTE

exclusivo

MAIS UMA VEZ, SEÇÃO GRITO POPULAR MOSTRA SUA FORÇA

exclusivo

UNIVERSO FAPAM

exclusivo

GERANDO PERGUNTAS

exclusivo

GOL DE PLACA

exclusivo

HISTÓRIA DE VIDA

OLINDA MARIA STAIN, 81
Adoro o GP Jornal

TÁ NA GAZETA? TÁ NA HISTÓRIA!

“Credibilidade e imparcialidade em jornalismo é com a GAZETA!”
GABRIEL JOSÉ BARBOSA PALOTTI, administrador e Garra Profissional 2021 no agronegócio

Notícias Prefeitura

SÓ CIRURGIAS MENOS GRAVES

Pará de Minas acaba de receber uma boa notícia: a volta das cirurgias eletivas - aquelas que não são de emergência, nem de urgência - que retornaram com bastante segurança, critério e rigor, respeitando o nível de prioridade. Para saber mais, a reportagem GP conversou com o secretário de saúde, Wagner Magesty. Informe-se.

“Desde a edição da Nota Técnica n° 5 da Secretaria de Estado de Saúde que nós podemos já realizar as cirurgias eletivas. Por se tratar de cirurgia eletiva, tem pacientes que estão entrando num quadro de agudização, que nós temos que priorizar essas cirurgias, para que não se torne uma causa pior ainda. Então, já definimos, por meio de nossa auditoria, do corpo técnico da secretaria de saúde, para fazer essas avaliações e já estão sendo agendadas as cirurgias para os próximos dias. Já foi iniciada uma que é de menor risco: a de catarata. Como a grande maioria das pessoas sabe, a secretaria de saúde pactuou uma parceria com o Centro de Excelência em Oftalmologia, do Dr. Leonardo Torquetti, e já estão sendo realizadas essas cirurgias, disponibilizadas para toda a população. Obviamente, nosso interesse é manter as cirurgias com uma maior quantidade possível dentro município. Até porque a nossa lógica de trabalho é manter o paciente no território, tanto para conforto dele, quanto de seus familiares,” ressalta Wagner.

Mais da Gazeta