Selo GP - Rodrigo Roreli Laço
Fundação:
Francisco Gabriel Bié Barbosa
Alcance, credibilidade e
imparcialidade,
desde 84
ANO 38 - Nº 1930
Pará de Minas 12/08/2022


exclusivo

GIRANDO POR AÍ

exclusivo

GOL DE PLACA

exclusivo

GOSTOSURAS PRÁTICAS

exclusivo

SOCIEDADE GP

exclusivo

GENTE PEQUENA

exclusivo

GALERA PARTICIPANTE

exclusivo

GOTA POÉTICA

exclusivo

GRANDE PATRIMÔNIO

exclusivo

GALERA PLANTONISTA

exclusivo

GRITO POPULAR

exclusivo

GENTE PENSANTE

exclusivo

MAIS UMA VEZ, SEÇÃO GRITO POPULAR MOSTRA SUA FORÇA

exclusivo

UNIVERSO FAPAM

exclusivo

GERANDO PERGUNTAS

exclusivo

GOL DE PLACA

exclusivo

HISTÓRIA DE VIDA

OLINDA MARIA STAIN, 81
Adoro o GP Jornal

TÁ NA GAZETA? TÁ NA HISTÓRIA!

“Credibilidade e imparcialidade em jornalismo é com a GAZETA!”
GABRIEL JOSÉ BARBOSA PALOTTI, administrador e Garra Profissional 2021 no agronegócio

Notícias Coronavírus

PARÁ DE MINAS ENTRA NA ONDA VERDE, O QUE PERMITE A REALIZAÇÃO DE SHOWS EM BARES, FESTAS E ATÉ ABERTURA DE DISCOTECAS

Foi publicado hoje, 5ª feira, 17, pelo Minas Consciente, que a macrorregião oeste, da qual Pará de Minas faz parte, passa a ter como referência a Onda Verde, o que significa que as atividades artísticas como produção teatral, musical, dança, circo, cinema, feiras, congressos, exposições, filmagens de festa, casas de festas, parque de diversão, discoteca, boliche, sinuca, bares com entretenimento, shows e espetáculos poderão funcionar, a partir da publicação do decreto 11.262/2020. Para saber mais, a reportagem GP conversou com o procurador geral do município, Hernando Fernandes. Informe-se.

“É importante destacar e até lembrar a todos que essa flexibilização não significa fim da pandemia. Acho que é até o contrário, é um momento de retomada da economia, como o próprio plano Minas Consciente diz. O objetivo é flexibilizar, mas as restrições que nós estávamos seguindo permanecerão nesse decreto. As restrições são a proibição de aglomeração, distanciamento de 2M, uso do álcool em gel, higienização das mãos e uso da máscara, que é imprescindível, tanto para os colaboradores, como para os clientes. Nosso decreto é bem claro e explícito quanto a responsabilidade dos empresários no controle e acompanhamento na observância do protocolo do Minas Consciente. É proibido aglomeração, o que é motivo de multa e cassação de alvará. Temos que festejar, pois cumprimos e seguimos corretamente todos os procedimentos necessários para chegar no ponto que estamos hoje,” afirma Hernando.

Mais da Gazeta