Selo GP - Rodrigo Roreli Laço
Fundação:
Francisco Gabriel Bié Barbosa
Alcance, credibilidade e
imparcialidade,
desde 84
ANO 38 - Nº 1930
Pará de Minas 12/08/2022


exclusivo

GIRANDO POR AÍ

exclusivo

GOL DE PLACA

exclusivo

GOSTOSURAS PRÁTICAS

exclusivo

SOCIEDADE GP

exclusivo

GENTE PEQUENA

exclusivo

GALERA PARTICIPANTE

exclusivo

GOTA POÉTICA

exclusivo

GRANDE PATRIMÔNIO

exclusivo

GALERA PLANTONISTA

exclusivo

GRITO POPULAR

exclusivo

GENTE PENSANTE

exclusivo

MAIS UMA VEZ, SEÇÃO GRITO POPULAR MOSTRA SUA FORÇA

exclusivo

UNIVERSO FAPAM

exclusivo

GERANDO PERGUNTAS

exclusivo

GOL DE PLACA

exclusivo

HISTÓRIA DE VIDA

OLINDA MARIA STAIN, 81
Adoro o GP Jornal

TÁ NA GAZETA? TÁ NA HISTÓRIA!

“Credibilidade e imparcialidade em jornalismo é com a GAZETA!”
GABRIEL JOSÉ BARBOSA PALOTTI, administrador e Garra Profissional 2021 no agronegócio

Notícias Variadas

PREFEITURA NEGA IRREGULARIDADE EM OCUPAÇÃO FUNCIONAL

Um dia após o OSB local - Observatório Social do Brasil anunciar a decisão de recorrer a alguns órgãos públicos, para que a prefeitura corrija supostas irregularidades na ocupação funcional de 7 servidores, o município se manifestou apresentando outra versão para os fatos.O OSB procurou esclarecimentos junto à municipalidade e a resposta não veio no prazo legal de manifestação, previsto na Lei 12.527/11. Diante disso, a entidade recorreu à 1ª Promotoria de Justiça da Comarca, assim como ao Tribunal de Contas de Minas Gerais e também à Câmara Municipal para que os mesmos investiguem o caso. Como já foi noticiado, o OSB apontou várias supostas irregularidades, começando pela situação da servidora que presta serviços na procuradoria geral e que, oficialmente, está lotada na gerência de gabinete do prefeito, cargo que nem existe na estrutura de gabinete. A prefeitura esclareceu que ela está lotada na secretaria de gestão pública, no cargo de gerente de atendimento ao cidadão. Sobre a auditora, lotada na secretaria de saúde, com salário superior a R$ 7 mil, que precisa cumprir jornada semanal de 40 horas e também trabalha na Apae de Itaúna, a prefeitura admitiu a situação mas afirmou que não há ilegalidade nisso, apesar da lei municipal proibir a participação em qualquer outra entidade que receba recursos do Sus – Sistema Único de Saúde. Já em relação aos demais servidores, que ocupam cargos diferentes do que consta no Portal da Transparência, a prefeitura também afirmou que não há incorreção nisso e que estão todos lotados na gestão pública. Mesmo com essas respostas o OSB entende que a situação precisa ser averiguada por conter pontos divergentes e continuará aguardando posicionamento dos órgãos acionados.

Mais da Gazeta