Selo GP - Rodrigo Roreli Laço
Fundação:
Francisco Gabriel Bié Barbosa
Alcance, credibilidade e
imparcialidade,
desde 84
ANO 38 - Nº 1918
Pará de Minas 20/05/2022


exclusivo

GANHO PESSOAL

exclusivo

GIRANDO POR AÍ

exclusivo

GOL DE PLACA

exclusivo

GOSTOSURAS PRÁTICAS

exclusivo

SOCIEDADE GP

exclusivo

GENTE PEQUENA

exclusivo

GALERA PARTICIPANTE

exclusivo

GOTA POÉTICA

exclusivo

GRANDE PATRIMÔNIO

exclusivo

GALERA PLANTONISTA

exclusivo

GRITO POPULAR

exclusivo

GENTE PENSANTE

exclusivo

CANTORA LOCAL VAI DIRETO PARA A FINAL DO CANTA COMIGO

exclusivo

GERANDO PERGUNTAS

exclusivo

GOL DE PLACA

exclusivo

QUEM FOI

NELSON ALVES MARZAGÃO?
Adoro o GP Jornal

TÁ NA GAZETA? TÁ NA HISTÓRIA!

“Todo esforço merece reconhecimento e o GP Jornal sabe valorizar cada um de nós, como ninguém!”
VITOR DOS SANTOS SILVA, estudante de educação física.

Notícias Coronavírus

A PREFEITURA ESTÁ NADANDO EM DINHEIRO?

Devido o governo federal divulgar todos os dias verbas que são destinadas para diversas cidades para o enfrentamento do coronavírus, muitas pessoas acham que a prefeitura está nadando em dinheiro. A reportagem GP conversou com o prefeito Elias Diniz. Acompanhe.

“Nós que estamos fazendo o dever de casa, mantendo os números baixos, estamos sendo desfavorecidos perante a ajuda que vem do governo, tanto é que até agora não houve homologação dos leitos do hospital, o que já era pra ontem. Esse custo na realidade está ficando com o município e a câmara, em termos de ajuda, pois as cirurgias eletivas estão paradas desde fevereiro. Os serviços prestados pelo hospital saíram de 82% para 42%. Agora que ficamos sabendo que chegará parte de um recurso, mas não é suficiente para suprir todas as cirurgias eletivas que eram feitas perante o município. Nós recebemos no 1° momento R$ 1.600.000,00, mas esperamos receber algo a mais. O HNSC irá receber R$ 300 mil, mas ele está desde fevereiro sem fazer nenhuma cirurgia eletiva. Já os municípios onde o coronavírus realmente explodiu, eles estão realmente recebendo de forma significativa, mas para quem trabalhou preventivamente e precisa suprir uma necessidade básica, não tem recebido o que deveria receber,” lamenta Elias.

Mais da Gazeta