Selo GP - Rodrigo Roreli Laço
Fundação:
Francisco Gabriel Bié Barbosa
Alcance, credibilidade e
imparcialidade,
desde 84
ANO 38 - Nº 1929
Pará de Minas 04/08/2022


exclusivo

GIRANDO POR AÍ

exclusivo

GOL DE PLACA

exclusivo

GOSTOSURAS PRÁTICAS

exclusivo

SOCIEDADE GP

exclusivo

GENTE PEQUENA

exclusivo

GALERA PARTICIPANTE

exclusivo

GOTA POÉTICA

exclusivo

GRANDE PATRIMÔNIO

exclusivo

GALERA PLANTONISTA

exclusivo

GRITO POPULAR

exclusivo

GENTE PENSANTE

exclusivo

MAIS UMA VEZ, SEÇÃO GRITO POPULAR MOSTRA SUA FORÇA

exclusivo

UNIVERSO FAPAM

exclusivo

GERANDO PERGUNTAS

exclusivo

GOL DE PLACA

exclusivo

HISTÓRIA DE VIDA

OLINDA MARIA STAIN, 81
Adoro o GP Jornal

TÁ NA GAZETA? TÁ NA HISTÓRIA!

“O GP Jornal traz informações corretas, com toques de criatividade e alegria, fazendo agradável a leitura!”
DENY OSWALDO DE ALMEIDA LEITE, contador.

Notícias Variadas

RANKING DA TRANSPARÊNCIA NAS CONTRATAÇÕES SEM LICITAÇÃO

Nesses últimos meses, a União, assim como estados e municípios têm gasto bilhões de reais em contratações sem licitação ou então por meio de processos licitatórios abreviados. A rapidez desses processos é justificada pela gravidade e a urgência da crise que o Brasil enfrenta, devido à pandemia do novo coronavírus. No entanto, a completa transparência desses procedimentos, envolvendo contratos firmados em órgãos públicos e fornecedores também está sendo cobrada, devido às denúncias de irregularidades noticiadas pela imprensa, o que evidencia o alto risco de corrupção a que essas compras emergenciais estão sujeitas. E é nesse cenário que a Transparência Internacional Brasil e o TCU - Tribunal de Contas da União lançaram várias recomendações que servirão de referência para a prevenção e o combate da corrupção, oferecendo aos gestores e órgãos de controle informações práticas sobre a divulgação de dados relativos às contratações emergenciais. O objetivo é garantir que a sociedade civil, a imprensa e os órgãos de controle tenham acesso pleno e ágil às informações necessárias para monitorar e fiscalizar as ações do poder público no enfrentamento da pandemia. Desde o dia 21 de maio, a Transparência Internacional também passará a divulgar o Ranking de Transparência de Contratações Emergenciais para todos os estados e o Distrito Federal, além das capitais brasileiras. Isso porque, apesar de a legislação exigir ampla divulgação das contratações emergenciais, uma análise realizada pela Transparência Internacional identificou que existem informações insuficientes e ausência de uniformidade na maneira como estados e municípios cumprem a lei e dão transparência a essas contratações. Evidenciar comparativamente como os estados e as capitais se adequam a estas recomendações facilitará o controle social, além de contribuir para a fiscalização já exercida pelos órgãos de controle. Nos municípios onde existem os núcleos do OSB – Observatório Social do Brasil, esse monitoramento já vem sendo feito. Em Pará de Minas, por exemplo, o OSB até já solicitou da prefeitura a divulgação bastante detalhada de todos os procedimentos no Portal da Transparência. Já nas cidades que ainda não possuem a presença do OSB esse papel caberá apenas às Câmaras Municipais, que representam a sociedade, e aos próprios cidadãos.

Mais da Gazeta