Acervo de Notícias

01/06/2020 - 8 PROFISSIONAIS DA VALE, NA CIDADE, COM COVID-19

Facebook Twitter Google

8 PROFISSIONAIS DA VALE, NA CIDADE, COM COVID-19

A Vale S.A. procurou a prefeitura de Pará de Minas para informar que a empreiteira que está prestando serviço na adutora aqui na cidade fez uma testagem máxima nos profissionais, pois havia alguns que estavam com sintomas, e em 8 deles foi confirmado coronavírus. Na manhã do dia 1° de junho, 4 representantes da Vale estiveram em reunião com o prefeito e secretários, para que medidas fossem tomadas. Alguns moradores de Meireles estiveram presentes, mas não puderam participar diretamente da reunião. A reportagem GP conversou com um deles, o empresário Rodrigo Campos. Acompanhe.

“Chegamos à prefeitura, apresentamos um manifesto para o prefeito e secretário de saúde, tentamos sensibilizá-los quanto à possibilidade de participar da reunião e não fomos atendidos. Entendemos que ele deveria primeiro ter conversado com a população de Meireles para depois ter o ponto de vista da Vale. Ao longo da reunião o secretário de saúde saiu da sala, convidou um de nossos participantes para participar da reunião, com a condição de que ele entrasse como ouvinte, o que não foi aceito, pois viemos para ter lugar de fala. Insisti e acabei entrando, mas lá fiquei por 10 minutos, pois fiz uma intervenção e interpelei um representante da Vale perguntando porque em Pará de Minas eles tem um tratamento tão diferente do que eles realizam em outras obras. Perguntei se o compromisso maior deles é com a entrega da obra no prazo ou se eles não estão preocupados com a disseminação do vírus ao longo do trecho. Essas perguntas não foram respondidas e fui convidado a ficar em silêncio e na condição de ouvinte eu não me coloco, me retirando então da reunião,” afirma Rodrigo.

QUAIS SÃO OS PROBLEMAS? - “Os problemas vêm sendo relatados desde o início da obra, como poeira, interrupção do trânsito, ao trabalho realizado. Pontualmente, o problema agora é a contaminação de 8 funcionários da empresa Bueno, empreiteira da Vale, no canteiro de obras que fica em Meireles e o risco enorme de contaminação, risco esse que já havíamos levantado desde o dia 30 de março, sem que nenhuma providência fosse tomada.”

O QUE SERÁ FEITO? - A reportagem GP conversou também com o prefeito Elias Diniz. Veja.

“Existe toda uma preocupação nossa com a área da saúde, na qual recebemos no dia 29 de maio a confirmação de uma análise assintomática de 8 funcionários que prestam serviços para as subsidiárias da Vale. Dentre essa análise nós estamos rastreando quem são esses funcionários, se estão dentro do nosso radar, pois o que foi reportado até então é que 2 são de Nova Serrana, vai e volta todos os dias, e 6, na realidade, 1 é de Pará de Minas e os outros são da Bahia e Sergipe, mas também estavam prestando serviço aqui. Com isso estamos verificando toda uma análise, onde faziam o uso desde a restaurantes, a hospedagem se era em república ou hotel, se estava num perímetro urbano ou área rural, que necessita de atenção especial e, automaticamente, faremos amostragem em termos de testagem junto à comunidade de Meireles, onde fica o canteiro de obras. Temos que acompanhar toda a sistemática, dando atenção especial à comunidade de Meireles. Como foi uma reunião mais direcionada à questão de saúde, já foi solicitado perante à Vale questões que envolvem protocolo de segurança, além dos equipamentos de proteção individual. Aquilo que foi levado em consideração à equipe da Vale, existe todo um procedimento para as empresas que prestam esse serviço e conforme foi reportado, isso será fiscalizado com um olhar mais clínico. Ao mesmo tempo, pedimos a disponibilidade de máscaras para a comunidade de Meireles,” conta o prefeito.

Veja também


 1 2 3 4 5 6 Fim