Colunistas

Bié Barbosa

Bié Barbosa BIÉ BARBOSA, jornalista e publicitário (UFMG), nascido em Pará de Minas em 22/11/53, é casado com Maíza Lage com quem tem 4 filhos. SEU LEMA: “O SENHOR É MEU PASTOR, NADA ME FALTARÁ”!



06/02/2020 - GENTE PENSANTE

GENTE PENSANTE

VEJA NA EDIÇÃO1802:
NAS BANCAS DE 07/02 A 13/02.



Veja também a crônica deste mesmo colunista da edição 1795
abaixo:

O QUE GERA A CONSTANTE E NECESSÁRIA RENOVAÇÃO DA VIDA?

Já quase no fim do fechamento de mais uma edição daquele jornal, dia se encerrando, o editor entra na sala e decreta uma nova pauta, para terror dos repórteres e diagramadores. Disse ele:

- O que era manchete de primeira página ficará para a próxima edição. Em seu lugar, entrará uma nova e bombástica matéria sobre o sucateamento do Sus – Sistema Único de Saúde. Teremos de ouvir duas versões diferentes, pra ver se a gente consegue, pelo menos, aproximar-se daquilo que seria a verdade.

A repórter de cabelos avermelhados mostrou a sua insatisfação de fazer duas – e não uma – entrevistas, tão em cima da hora:

- Ichi!!!

O editor explicou, sem piedade:

- Melhor você correr, então, porque o tempo está realmente curto e o pior vem agora: os entrevistados estão em dois lugares distintos: um no Executivo e o outro no Legislativo.

A repórter debochou:

- Meu Deus! Um no Oiapoque/AP e o outro no Chuí/RS. E, depois da entrevistas, ainda terei de tirá-las do celular, digitá-las e ainda dar redação final. 

O experiente editor sugeriu duas ou 3 perguntas e foi saindo da sala. A repórter anotou e saiu voando, para preparar outras perguntas. Não sem antes, no corredor, dar uma nova sugestão com o editor:

- Honestamente, não é preguiça, não, mas acho que o tempo está curto demais para fazer essas duas entrevistas. Ainda mais sobre política... É quase impossível! Será que a gente não poderia publicar a versão do Executivo nesta edição e a versão do Legislativo na outra ou vice-versa?

O editor nem olhou pra trás, falando em tom baixo e pausado:

- Claro que não!

Ao sair, o diagramador disse para a repórter:

- Corre, amiga, porque você só tem um pouco mais que duas horas para fazer tudo, sem falar nas fotos. E não clique de frente para a luz, pelo amor de Deus!

- Você se esqueceu de uma coisa: antes de você diagramar esta matéria, o editor terá ainda que revisar tudo que eu fizer. Resumindo: põe duas horas nisso...

O tempo ficou quente naquela redação, mas a matéria foi feita e revisada a tempo. Claro que tudo a toque de caixa. Mais tarde, quando o jornal seguiu para a gráfica, o editor chegou na redação e falou para a repórter:

- Parabéns! A matéria ficou muito boa. Mais um furo do jornal, graças a você, por sua livre e espontânea... pressão! (riso).

Ela retrucou:

- Continuo achando que poderia ter saído uma e, depois, a outra matéria.

O editor ensinou:

- É impossível entender bem os fatos, a partir de um único ponto de vista, principalmente se ele for político, onde a verdade, diferentemente do jornalismo, nunca será prioridade. Por falar nisso, assista ao filme musical Chicago, para entender que as duas entrevistas tinham de sair juntas. Afinal, a bipolaridade da vida é que gera o constante renovar de todas as coisas.

E você, já parou para pensar sobre o que gera a renovação de tudo nesta vida? Uma boa leitura!

Veja também


 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Fim