Realizações GP

02/12/2016 - PEC NA EDUCAÇÃO CONFUNDE O POVO

Em 1989, o jornal Gazeta pará-minense pensou em desenvolver um debate cultural em Pará de Minas, voltado principalmente para os jovens. Realizado mensalmente, com exceção do período de férias escolares (janeiro, fevereiro, julho e dezembro), esse evento é apresentado pelo jornalista Bié Barbosa. Há um pequeno show, com músicos, contadores de história, atores, escritores, etc., seguido de um debate sobre um tema polêmico qualquer. No final, há sorteio de brindes para a platéia, através da sabatina ganha prêmio. Realizado sempre na última 5ª feira do mês, das 19h30min às 20h30min, para uma platéia mínima de 100 pessoas, em locais que se reciclam, anualmente.



PEC NA EDUCAÇÃO CONFUNDE O POVO

PEC NA EDUCAÇÃO CONFUNDE O POVO

Realizado no último dia 24, o 216º Grande Papo, último da temporada 2016, na Escola Estadual Nossa Senhora Auxiliadora com o tema Pec e a Reforma do Ensino Médio. Os debatedores convidados pela GAZETA foram a especialista em educação e Secretária do Conselho Municipal da Educação, Heliane Santos, o professor Jáder Maia e a diretora estadual do Sindi-Ute (Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais) e da secretaria de organização da CNTE (Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação), Marilda de Abreu Araújo, que veio de Belo Horizonte especialmente para participar do evento. A abertura musical ficou por conta de Marcus Ferreira que animou a galera com muita simpatia. Após o polêmico e difícil debate, aconteceu o sempre esperado Ganha Prêmio com brindes da Algar Telecom, Plena Alimentos e da própria GAZETA. Em seguida, a reportagem GP conversou com os três debatedores Veja primeiramente o que disse Heliane Santos.

“Quando se fala de perdas de direitos, você tem que conhecer o que você tem hoje na legislação pra você saber exatamente aquilo que você está perdendo. Se você não conhece os seus direitos, como você saberá se a Pec está te tirando alguma coisa? Então, temos que valorizar as ações conquistadas, para dar valor aquilo que está sendo retirado de nós. Precisamos estudar sobre aquilo que temos direito e sobre aquilo que está sendo tirado, buscando saber exatamente o que iremos perder. Se existe uma Lei de Responsabilidade para rever os gastos, congelar o recurso da educação por 20 anos será a solução? Daqui a 20 anos, o nosso Pib será um dos piores países do mundo, de acordo com pesquisas de economistas renomados do Brasil”, politiza Heliane. 

QUE PAÍS É ESTE? - Veja agora o que disse o professor Jáder Maia à reportagem GP.

“A Pec propõe um congelamento de 20 anos nos investimentos feitos pela União, limitando o reajuste ao índice de inflação do ano anterior. Se a Pec da Educação for aprovada será uma catástrofe, pois já vivemos em um país onde não há justiça e agora ainda vão mexer na verba da educação e da saúde. O povo brasileiro está confuso em relação a tudo isso e está me dando cansaço de morar em um país como este”, esbraveja Jáder.

ENEM PREJUDICADO - Veja também o que disse a diretora estadual do Sindi-Ute e secretária de organização da CNTE, Marilda de Abreu Araújo, à reportagem GP.

“Se a Pec for aprovada o Enem não acabará, mas acredito que ele vá perder sua função de ser o auxiliar do vestibular para entrada de estudantes nas universidades. Ele passará a ser medida de conhecimento de aluno, assim como a Prova Brasil, perdendo o seu principal intuito que é o de ser o vestibular para os filhos da classe trabalhadora. Acredito que a Medida Provisória 746 irá mexer nos currículos, inclusive nos das universidades. As universidades vão perder sua autonomia de formar seus currículos e trabalhar apenas os conteúdos do currículo básico e mínimo que o Estado vai oferecer”, lamenta Marilda. 

Veja também


 1 2 3 4