Realizações GP

10/12/2015 - ESCOLA VERSUS FAMÍLIA - AMOR, LIMITE, EXEMPLO, INDIVIDUALIDADE E AFETO

Em 1989, o jornal Gazeta pará-minense pensou em desenvolver um debate cultural em Pará de Minas, voltado principalmente para os jovens. Realizado mensalmente, com exceção do período de férias escolares (janeiro, fevereiro, julho e dezembro), esse evento é apresentado pelo jornalista Bié Barbosa. Há um pequeno show, com músicos, contadores de história, atores, escritores, etc., seguido de um debate sobre um tema polêmico qualquer. No final, há sorteio de brindes para a platéia, através da sabatina ganha prêmio. Realizado sempre na última 5ª feira do mês, das 19h30min às 20h30min, para uma platéia mínima de 100 pessoas, em locais que se reciclam, anualmente.



ESCOLA VERSUS FAMÍLIA - AMOR, LIMITE, EXEMPLO, INDIVIDUALIDADE E AFETO

ESCOLA VERSUS FAMÍLIA - AMOR, LIMITE, EXEMPLO, INDIVIDUALIDADE E AFETO

 Como faz em toda última 5ª feira do mês, durante o período escolar, esta GAZETA realizou mais um Grande Papo, desta vez o 209°, na Escola Estadual Clóvis Salgado, bairro de Fátima, sob o tema Escola Versus Família. Os debatedores convidados pela Comissão Organizadora do Evento foram o psicólogo Ivanilson Eleutério e a psicopedagoga Marcilene Tavares. A abertura do evento ficou por conta também de Marcilene Tavares que fez uma contação de história que envolveu todo mundo que cantou e, depois, aplaudiu com entusiasmo. No encerramento, aconteceu o esperado Ganha Prêmio com brindes enviados pela Algar Telecom, Plena Alimentos e livros do escritor José Pereira da Costa (Entre Feras). Após o evento, a reportagem G.P. falou com os debatedores. Veja, primeiramente, o que disse Ivanilson Eleutério.
“Eu trabalho com crianças e adolescentes apenas em escolas, indo até elas e tentando entender o que está acontecendo. Existe uma procura muito grande por tratamentos, mas na verdade não são todos os casos que necessitam. A maior obrigação que tenho, como psicólogo, é tentar esclarecer quais casos precisam de tratamento e quais casos seriam apenas uma questão de convivência. Outra coisa é que acho muito difícil trabalhar só o aluno, sem que a família dele também participe”, revela Ivanilson.

3 COISAS – “A relação família e escola é problemática, mas acredito que a única possibilidade para melhorar é que as famílias tenham uma maior clareza de como elas podem criar seus filhos em um mundo tão complexo quanto o de hoje. Uma coisa que sempre digo é que precisamos dar 3 coisas para as crianças: amor, limite e exemplo. Se dermos para as crianças amor verdadeiro, os limites que elas precisam ter e bons exemplos, com certeza iremos melhorar a vida delas, tanto em casa quanto na escola”.
PARCERIA - Agora, veja o que disse Marcilene Tavares.
“A relação entre família e escola é inseparável e acredito na parceria que deve existir sempre. Acho que a escola é uma instituição de sucesso, mas que precisa contar diariamente com o apoio dos pais e de todos os familiares da criança ou adolescente. A família também precisa receber e aceitar o apoio que a escola tem para oferecer”, deseja Marcilene.

AFETO – “Hoje, em nossas casas, precisamos trabalhar com respeito a individualidade do ser, ouvindo a criança e sempre sabendo que toda relação passa pelo afeto. Ou seja, se a família tem uma relação construída no afeto, no respeito, na escuta à criança, a severidade e a palmada nem serão necessárias. Acredito na relação que perpassa pelo afeto e também no tempo que se é dedicado à criança”.

Clique nas fotos para ampliar
Veja também


 1 2 3 4 5