Realizações GP

01/01/2014 - RESULTADO DO CONCURSO SELO GP ANO 30 Santo de casa fez milagre

Procurando um selo para ilustrar a gazeta pará-minense e também com a intenção de prestigiar os artistas locais, surgiu, em 1989, o concurso anual selo GP. A cada ano, o selo vencedor vem estampado à esquerda da 1ª página do jornal, durante um ano, além de estampar as centenas de camisetas comemorativas da noite da camiseta, outro evento GP.



RESULTADO DO CONCURSO SELO GP ANO 30 Santo de casa fez milagre

RESULTADO DO CONCURSO SELO GP ANO 30 Santo de casa fez milagre Na edição anterior a esta, o jornal publicou os 5 selos finalistas do concurso Selo GP Ano 30, escolhidos pela Equipe GP, no meio de todos os selos inscritos. Depois, eles foram enviados para uma Comissão Julgadora que deu votos de 1 a 5 para cada um deles sem o direito de repetir notas e de saber os nomes dos finalistas que foram mantidos no anonimato. Após apuração, para surpresa geral, inclusive da Equipe GP, o grande vencedor era uma pessoa que faz parte do quadro de funcionários do jornal. Trata-se de Rafael Vidal, da reportagem e diagramação da GAZETA. A reportagem GP, com muita alegria, conversou com o seu colega de trabalho. Acostumado a entrevistar, veja como ele se saiu como entrevistado.
“Foi a 1ª vez que participei deste tradicional concurso GP e a minha ideia foi baseada da seguinte forma: o regulamento do concurso pede que a gente use uma imagem da cidade. Como o Cristo Redentor fez 50 anos, pensei em homenagear a GAZETA Ano 30 com ele. Para mim, ele é a maior representação turística da cidade e a obra que as pessoas de fora mais vêm, quando vêem à cidade. Lógico que existem outras obras, mas o Cristo talvez seja a mais bonita. Não demorei muito para fazer o selo, pois se tratava de uma ideia simples. Usei o azul e o branco, porque são as cores da GAZETA”, explica Rafael.

OS 5 FINALISTAS – “Quando eu vi o jornal sendo montado, tomei conhecimento dos 5 finalistas e vi que o meu trabalho estava entre eles, mas fiquei calado, porque achei que todos os selos estavam em nível igual, cada um representando um ponto diferente e bacana da cidade... cada um com uma ideia diferente”.

O RESULTADO - “Tomei um susto danado, quando me falaram que o meu selo é que havia ganhado. Queria ter feito algo melhor, mas o melhor foi poder criar algo, não para a empresa jornalística, como sempre faço como funcionário dela, mas para todos os milhares de assinantes e leitores da GAZETA que vão se sentir também representados nesse selo. Pretendo participar das próximas edições do concurso e já tenho até ideias dos locais que irei abordar. Mas a minha intenção não é ganhar, apenas usar o concurso para mostrar a minha arte. Entre os prêmios do concurso, está uma assinatura anual da GAZETA, mas, como faço parte de sua equipe, já tenho acesso às notícias, toda semana. Então, vou escolher uma pessoa, que ainda não é assinante, para que ela fique mais interada com as notícias da cidade”.

Veja também